terça-feira, 22 de junho de 2010

BARROCO

Origens e características gerais do barroco e os principais artistas

A arte barroca originou-se na Itália, e logo se espalhou por outros países da Europa e chegou à América. Porém, apresentou características bastante diferentes nos vários países. O barroco italiano do início do século XVII, por exemplo, difere muito do barroco Holandês da mesma época. Ainda assim, há aspectos comuns às obras desse período: o predomínio da emoção, e não da razão, que prevaleceu no Renascimento; o acentuado contraste entre tons claros e escuros, que intensifica a expressão dos sentimentos. Os temas são variados: religiosos, mitológicos e na forma de retratos.

Artistas italianos
Caravaggio (1537-1610): A beleza além da aristocracia. Para ele, não havia ligação entre beleza e aristocracia, e seus modelos eram vendedores, músicos ambulantes, ciganos; enfim, gente do povo. A utilização original da luz, criada de modo intencional; direciona a atenção do observador. Isso é tão fundamental em sua obra que ele é considerado importante pintor da luz.
Tintoretto (1518- 1594): A expressividade no corpo (o corpo mais expressivo que o rosto). Para ele, um quadro devia ser visto inicialmente em seu conjunto e só depois percebido em seus detalhes.
Andrea Pozzo (1642-1709): A abertura para o céu. A perspectiva é trabalhada de forma tão audaciosa, que o teto parece abrir-se no alto, de onde santos e anjos convidam os fiéis a irem para o céu.
Bernini (1598-1680): foi, sem dúvida, o mais importante e completo: foi arquiteto, urbanista, escultor, decorador e pintor. Ele projeta a Praça de São Pedro (1657-1666), no Vaticano. Nessa época firmou-se a ideia de que o espaço em torno da obra arquitetônica era importante para a beleza da construção. Daí a preocupação com os projetos das praças de palácios e igrejas, como a da basílica de São Pedro.

O barroco na Espanha
El Greco (1541-1614): As formas alongadas. Sua pintura é marcada pela verticalidade: figuras esguias e alongadas que deixam de lado o ideal de beleza do Renascimento italiano, em que o corpo é representado com formas perfeitas.
Velázquez (1599-1660): Retratos da corte espanhola. Assim como Caravaggio, trabalhou a luz em contraste com a sombra. Tornou-se famoso por retratar a corte espanhola do século XVII. Entre esses retratos está “As meninas”, uma de suas obras primas.

O barroco nos países baixos

Rembrandt (1606-1669): A gradação da claridade. Dirige nossa atenção: os diversos graus de claridade, os meios tons, as penumbras que envolvem áreas de luminosidade mais intensa, sobretudo a precisão dos efeitos da luz.
Vermeer (1632-1675): A delicadeza da vida comum. Seus quadros documentam com delicada beleza os momentos simples da vida cotidiana da Holanda seiscentista.

O barroco no Brasil (destaque para a arquitetura das igrejas)
Antônio Francisco Lisboa (O Aleijadinho): o principal escultor do Barroco do Brasil, em Minas Gerais.
Mestre Ataíde (pintor) – Técnica audaciosa em que as colunas parecem avançar para o alto, sugerindo que o teto se abra para o céu.
Frei Jesuino do Monte Carmelo (pintor) e Mestre Valentim (escultor).

Apontamento: Valdeci Freitas

Bibliografia: PROENÇA, Graça. História da arte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário